Vinho com os Melhores Preços do Brasil e Procedência Legal

Tipos de vinhos: o que você precisa saber para aprender a degustar

O universo dos vinhos é encantador! Produzidos com os mais diferentes tipos de uvas, climas e estilos de produção, os tipos de vinhos são os mais variados e podem nos levar a viagens sensacionais pelos quatro cantos do mundo. Mas uma das perguntas mais comuns entre as pessoas que estão começando a aprender a degustar […]

março 26, 2021 / Atualizado em: abril 30, 2021
Tipos de vinhos: o que você precisa saber para aprender a degustar

O universo dos vinhos é encantador! Produzidos com os mais diferentes tipos de uvas, climas e estilos de produção, os tipos de vinhos são os mais variados e podem nos levar a viagens sensacionais pelos quatro cantos do mundo.

Mas uma das perguntas mais comuns entre as pessoas que estão começando a aprender a degustar e a diferenciar os sabores e aromas é: por qual vinho devo começar? A resposta para essas e tantas outras perguntas nós vamos te responder agora! Olha só:

Como começar a degustar?

A primeira coisa que você precisa entender é que iniciar no mundo dos vinhos é como aprender a andar de bicicleta, uma pedalada de cada vez. Bem, nesse caso, um rótulo de cada vez.

É muito importante ter em mente que não adianta você comprar um vinho caríssimo, extremamente elaborado e complexo, porque o seu paladar ainda não está preparado para identificar todas as qualidades de um exemplar desses. Se você fizer isso, provavelmente irá se decepcionar e, muitas vezes, até desistir de aprender mais.

O segredo é: não vá com muita sede ao pote (ou taça). Então, o que fazer?

Permita-se a ter a percepção de cada sabor e sensação que o vinho pode te oferecer. Naturalmente, você vai encontrar os seus prediletos. Outra maneira de saber mais é pesquisando. Tome muito cuidado com alguns tipos de vinhos que não possuem qualidade. Mas como saber? O vinho pode ser mascarado de diversas formas, mas as principais são: a temperatura e o açúcar.

Por exemplo, ao beber um vinho de baixa qualidade, se ele for bem doce, a probabilidade de você gostar é grande. Isso acontece porque o verdadeiro sabor do vinho está mascarado. O mesmo acontece com a temperatura, se esse mesmo vinho é servido muito gelado, as papilas gustativas são anestesiadas e você não conseguirá sentir o sabor.

Dessa forma, saber as características de um vinho, como armazená-lo, como servi-lo e com os tipos corretos de alimentos para harmonização, fará toda a diferença no seu aprendizado.

Como identificar os tipos de vinhos?

Para um paladar aguçado é importante que você conheça algumas das principais divisões no universo dos vinhos. Além de entender quais são as uvas mais cultivadas para a produção dos diferentes tipos de vinhos. Vamos ver algumas?

Vinho tinto

Esse é um tipo de vinho que resulta da extração de uvas tintas. A coloração escura, arroxeada por exemplo, é resultado de um trabalho realizado com as cascas das uvas, que descansam com o mosto. Para quem ainda não é familiarizado, o mosto é o sumo das uvas frescas que ainda não passaram pelo processo de fermentação.

O processo de “descanso” das cascas se chama maceração e é responsável pelas principais características do vinho que será produzido.

Já no caso da intensidade tanto de cores quanto de sabores que o vinho tinto terá quando estiver pronto, está relacionado a dois fatores: o tipo de uva que será usada e o tempo de maceração das cascas no mosto.

Como você deve imaginar, existe uma gigantesca variedade de uvas tintas. Assim, os tipos de vinhos que derivam destas uvas podem apresentar estilos completamente diferentes, com temperatura de serviço entre 14ºC e 16ºC para tintos leves e 16ºC a 18ºC para os médios e encorpados.

Vinho Rosé

Também chamado de vinho rosado, faz parte dos tipos de vinhos que seguem as mesmas técnicas de produção de maceração. A grande diferença aqui está nos métodos, que podem acontecer de três formas diferentes: o tradicional, o corte de vinho e a sangria.

Para a realização do método tradicional, as uvas são prensadas e mantidas por um período que varia de 2 a 24 horas, até que cheguem ao tom rosado. Além disso, a temperatura de maturação é altamente controlada e o tempo será determinante para, ao final, alcançar um excelente sabor específico e a cor características do vinho rosé.

O corte de vinho é um método que, apesar de muito utilizado em diversos países, é “abominado” pelos franceses. Isso porque consiste em uma mistura do vinho tinto já vinificado com o vinho branco. O que quer dizer que o resultado não será agradável para um bom apreciador. Além disso, vale destacar que, em algumas regiões, esse método é proibido por lei!

Já a sangria acontece assim: antes da fermentação é retirada mais ou menos 10% do mosto das uvas prensadas. A partir do líquido tem o que se chama sangria, que é utilizado na produção do vinho rosado. Daí temos um vinho que é caracterizado como subproduto do vinho tinto, o que o torna com uma qualidade inferior e com teor alcoólico mais acentuado.

A partir daqui, para você que está começando no mundo dos vinhos e conhecendo os tipos de vinhos que existem, vale a pena anotar que, ao escolher um vinho rosé, opte sempre por aqueles que são produzidos através do método tradicional.

Também vale ressaltar que os rosés mais prestigiados são aqueles produzidos na França, na famosa região de Provence. Por isso, é utilizado apenas o método tradicional. Outros locais como Itália, Portugal, Brasil e Chile, por exemplo, também se utilizam deste método.

No caso do vinho rosé, o ideal é que seja servido a uma temperatura de 8ºC. Esses tipos de vinhos são ótimas opções para serem apreciados no verão e na primavera.

Vinho Branco

Muito se engana quem pensa que vinho branco é, necessariamente, produzido com uvas “brancas”. A verdade é que alguns são extraídos de vinhos tintos! O método de produção é bem parecido com o do vinho tinto. Mas a diferença está na separação das cascas e do mosto assim que as uvas são prensadas.

Dessa forma, o vinho não fica com a característica “vermelha” da uva. Para isso acontecer, as uvas são prensadas de forma suave, então o suco é extraído sem esmagar sementes e cascas, que são mantidas em temperaturas mais baixas para obter o vinho leve e frutado.

Por causa da composição, o ideal é que o vinho branco seja servido a uma temperatura mais baixa que os tintos e rosés, por volta de 6ºC a 12ºC. Essa temperatura permitirá ao degustador apreciar melhor o sabor do vinho. Esses tipos de vinhos podem ser produzidos a partir de uma enorme variedade de uvas. Porém, vale a pena destacar as uvas Chardonnay e Sauvignon Blanc que, apesar de terem origem francesa, são produzidas em larga escala em diversos países.

Já os vinhos brancos produzidos com uvas brancas são chamados de Blanc des Blancs (ou, branco dos brancos).

Espumantes

Principalmente para quem está começando agora essa pode parecer uma grande surpresa. Nem todo mundo sabe que os espumantes fazem parte dos tipos de vinhos. Basicamente, os espumantes são vinhos com “perlage”, ou seja, borbulhas. Sendo que, o maior representante dos espumantes é o Champagne. Mas preste muita atenção, todo champagne é espumante, mas nem todo espumante é champagne. Essa confusão acontece porque os verdadeiros Champagnes são aqueles produzidos na região homônima, na França.

Os métodos de produção dos espumantes são os seguintes: Charmat e Champenoise (ou Tradicional). Outra curiosidade é que os espumantes podem ser tintos, rosés ou brancos (mais comuns).

Além disso, os Champagnes nasceram de um erro. Depois de engarrafados os alguns vinhos começaram uma nova fermentação e quando eram expostos a temperaturas mais altas as garrafas explodiam.

Daí, com o passar do tempo, os produtores da região aprenderam a conduzir essa fermentação, chegando a criar um novo produto que caracterizou a produção da região.

Historicamente falando, há não muito tempo, em 1907, o método Charmat surgiu a partir da necessidade de se obter um produto que fosse parecido com o Champagne, porém com um custo de produção bem mais baixo.

Esse método permite que a segunda fermentação, onde se desenvolve o álcool e o gás carbônico, seja feita em tanques e o líquido, quando engarrafado, já sem as leveduras, não fermente na garrafa.

Os espumantes são tipos de vinhos únicos, com muito sabor e produzidos a partir de diversos tipos de uvas que dependem de cada região onde a bebida é produzida. Na região de Champagne a legislação referente à produção da bebida é bastante rígida. Por isso, um Champagne original sempre será derivado de uma dessas três uvas: Chardonnay, Pinot Noir e Pinot Meunier, nas mais variadas proporções.

Fortificados

Será que alguma vez você já ouviu esse termo para caracterizar um vinho? Mas com certeza já ouviu falar sobre os tipos de vinho que se enquadram nessa categoria, quer ver? Vinho do Porto, Madeira, Jerez e Marsala.

Os vinhos fortificados são bastante utilizados nas diversas culinárias, especialmente para compor pratos ou mesmo realizar harmonizações perfeitas com queijos fortes e sobremesas.

Esses tipos de vinhos são produzidos com aguardente vínica, ou algum outro tipo de destilado que é adicionado à mistura do vinho durante seu processo de produção. Assim, tem-se vinhos com teor alcoólico mais elevado.

Há muito tempo atrás os vinhos eram transportados através de navios, o que resultava em longuíssimas viagens. Por isso, era muito importante evitar a fermentação das uvas e garantir a estabilização da bebida. Dessa maneira, o principal objetivo das primeiras produções de vinhos fortificados era conservar a bebida pelo máximo de tempo possível.

Em compensação, o álcool mata as leveduras, que são responsáveis pela fermentação. Assim, sobra maior quantidade de açúcar no vinho. E como o açúcar não é transformado em álcool, o vinho se torna uma bebida mais doce, forte e com maior teor alcoólico.

Agora que você sabe o básico sobre os tipos de vinhos, dá só uma olhadinha no que o Guilherme Elias, dono da Enoteca Brasil aconselha para aqueles que estão começando a apreciar vinhos:

Bom, essas são apenas algumas dicas iniciais para quem está começando a conhecer os tipos de vinhos e tem interesse em saber mais sobre o universo dos vinhos. Espero que tenha gostado do nosso conteúdo de hoje e continue acompanhando todas as nossas postagens. Fique de olho!

Iniciar chat
1
Precisa de ajuda?
Olá! Estamos aqui para tirar qualquer dúvida.